Felicidade – Nizan Guanaes

Heverson Barbosa Textos Leave a Comment

Um discurso emblemático do publicitário Nizan Guanaes quando o mesmo foi paraninfo em uma formatura de administração.

Uma excelente peça para a prática da oratória por possuir vários elementos estratégicos para um discurso extraordinário. 

Dizem que conselho só se dá a quem pede. E, se vocês me convidaram para paraninfo, sou tentado a acreditar que tenho sua licença para dar alguns. Portanto, apesar da minha pouca autoridade para dar conselhos a quem quer que seja, aqui vão alguns, que julgo valiosos.

Não paute sua vida, nem sua carreira, pelo dinheiro. Ame seu ofício com todo coração. Persiga fazer o melhor. Seja fascinado pelo realizar, que o dinheiro virá como consequência. Quem pensa só em dinheiro não consegue sequer ser nem um grande bandido, nem um grande canalha. Napoleão não invadiu a Europa por dinheiro. Hitler não matou 6 milhões de judeus por dinheiro. Michelangelo não passou 16 anos pintando a Capela Sistina por dinheiro. E, geralmente, os que só pensam nele não o ganham. Porque são incapazes de sonhar. E tudo que fica pronto na vida foi construído antes, na alma. 

A propósito disso, lembro-me uma passagem extraordinária, que descreve o diálogo entre uma freira americana cuidando de leprosos no Pacífico e um milionário texano. O milionário, vendo-a tratar daqueles leprosos, disse: “Freira, eu não faria isso por dinheiro nenhum no mundo. E ela responde: Eu também não, meu filho”.

Não estou fazendo com isso nenhuma apologia à pobreza, muito pelo contrário. Digo apenas que pensar em realizar tem trazido mais fortuna do que pensar em fortuna.

Meu segundo conselho: pense no seu País. Porque, principalmente hoje, pensar em todos é a melhor maneira de pensar em si. Afinal é difícil viver numa nação onde a maioria morre de fome e a minoria morre de medo. O caos político gera uma queda de padrão de vida generalizada. Os pobres vivem, como bichos, e uma elite brega, sem cultura e sem refinamento, não chega a viver como homens. Roubam, mas vivem uma vida digna de Odorico Paraguassú. Que era ficção, mas hoje é realidade, na pessoa de Geraldo Bulhões, Denilma e Rosângela, sua concubina.

Meu terceiro conselho vem diretamente da Bíblia: seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito. É exatamente isso que está escrito na carta de Laudiceia: seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito.

É preferível o erro à omissão. O fracasso, ao tédio. O escândalo, ao vazio. Porque já vi grandes livros e filmes sobre a tristeza, a tragédia, o fracasso. Mas ninguém narra o ócio, a acomodação, o não fazer, o remanso. Colabore com seu biógrafo. Faça, erre, tente, falhe, lute. Mas, por favor, não jogue fora, se acomodando, a extraordinária oportunidade de ter vivido.

Tendo consciência de que, cada homem foi feito, para fazer história. Que todo homem é um milagre e traz em si uma revolução. Que é mais do que sexo ou dinheiro. Você foi criado, para construir pirâmides e versos, descobrir continentes e mundos, e caminhar sempre, com um saco de interrogações na mão e uma caixa de possibilidades na outra. Não use Rider, não dê férias a seus pés. Não se sente e passe a ser analista da vida alheia, espectador do mundo, comentarista do cotidiano, dessas pessoas que vivem a dizer: eu não disse!, eu sabia!

Toda família tem um tio batalhador e bem de vida. E, durante o almoço de domingo, tem que aguentar aquele outro tio muito inteligente e fracassado contar tudo que ele faria, se fizesse alguma coisa. Chega dos poetas não publicados. Empresários de mesa de bar. Pessoas que fazem coisas fantásticas toda sexta de noite, todo sábado e domingo, mas que na segunda não sabem concretizar o que falam. Porque não sabem ansear, não sabem perder a pose, porque não sabem recomeçar. Porque não sabem trabalhar.

Eu digo: trabalhem, trabalhem, trabalhem. De 8 às 12, de 12 às 8 e mais se for preciso. Trabalho não mata. Ocupa o tempo. Evita o ócio, que é a morada do demônio, e constrói prodígios.

O Brasil, este país de malandros e espertos, da vantagem em tudo, tem muito que aprender com aqueles trouxas dos japoneses. Porque aqueles trouxas japoneses que trabalham de sol a sol construíram, em menos de 50 anos, a 2ª maior megapotência do planeta. Enquanto nós, os espertos, construímos uma das maiores impotências do trabalho.

Trabalhe! Muitos de seus colegas dirão que você está perdendo sua vida, porque você vai trabalhar enquanto eles veraneiam. Porque você vai trabalhar, enquanto eles vão ao mesmo bar da semana anterior, conversar as mesmas conversas, mas o tempo, que é mesmo o senhor da razão, vai bendizer o fruto do seu esforço, e só o trabalho lhe leva a conhecer pessoas e mundos que os acomodados não conhecerão.

E isso se chama sucesso.

Quer aprender como criar discursos extraordinários?

 

70 Trava-línguas pra você melhorar sua oratória

Heverson Barbosa Textos Leave a Comment

Os trava-línguas são basicamente a reunião de palavras com fonemas muito similares difíceis de serem pronunciados.

Quem nunca ouviu: O rato roeu a roupa do rei de Roma? Apesar de muito popular, este trava-línguas poderia estar na categoria dos mais fáceis, Na língua portuguesa existem vários bem mais complexos que são verdadeiros testes de velocidade, precisão e entendimento do português.

Os trava-línguas fazem parte da nossa cultura e, durante a infância e até mesmo na vida adulta, são motivo de diversão e entretenimento. Originados na cultura popular, muitos deles vêm de rimas infantis, versos e prosas.

No curso de oratória percebemos que muitas pessoas tem dificuldade na dicção e articulação de alguns fonemas por isso disponibilizamos alguns trava-línguas para que estes possam treinar e melhorar sua fala, afinal, a maioria deles se tornam fáceis quando bem treinados.

Então vamos lá! Com os 70 trava-linguas mais legais da língua portuguesa

  1. Tem uma tatu-peba, com sete tatu-pebinha. Quem destatupebar ela, bom destatupebador será.
  2. Atrás da porta torta tem uma porca morta.
  3. Para ouvir o tique-taque, tique-taque, tique-taque. Depois que um tique toca é que se toca um taque.
  4. Se vaivém fosse e viesse, vaivém ia, mas como vaivém vai e não vem, vaivém não vai
  5. O que é que Cacá quer? Cacá quer caqui. Qual caqui que Cacá quer? Cacá quer qualquer caqui.
  6. Sabia que a mãe do sabiá não sabia que o sabiá sabia assobiar?
  7.  Casa suja, chão sujo.
  8.  Atrás da pia tem um prato, um pinto e um gato. Pinga a pia, apara o prato, pia o pinto e mia o gato.
  9.  Um ninho de mafagafos, tinha sete mafagafinhos. Quem desmafagar esses mafagafinhos bom desmagafigador será.
  10. O desinquivincavacador das caravelarias desinquivincavacaria as cavidades que deveriam ser desinquivincavacadas.
  11. Fia, fio a fio, fino fio, frio a frio.
  12.  O pelo do peito do pé do Pedro é preto.
  13.  Luiza lustrava o lustre listrado, o lustre lustrado luzia.
  14.  Fala, arara loura. A arara loura falará.
  15.  Bote a bota no bote e tire o pote do bote.
  16. Num ninho de mafagafos há sete mafagafinhos. Quando a mafagafa gafa, gafam os sete mafagafinhos.
  17. Trazei três pratos de trigo para três tigres tristes.
  18. A aranha arranha a rã. A rã arranha a aranha. Nem a aranha arranha a rã. Nem a rã arranha a aranha.
  19. O tempo perguntou ao tempo quanto tempo o tempo tem, o tempo respondeu ao tempo que o tempo tem tempo que o tempo tem.
  20. Se percebeste, percebeste. Se não percebeste, faz que percebeste para que eu perceba que tu percebeste. Percebeste?
  21. O Rato roeu a rica roupa do rei de Roma! A rainha raivosa rasgou o resto e depois resolveu remendar!
  22. Em rápido rapto, um rápido rato raptou três ratos sem deixar rastros.
  23. O sabiá não sabia que o sábio sabia que o sabiá não sabia assobiar.
  24. Sabendo o que sei e sabendo o que sabes e o que não sabes e o que não sabemos, ambos saberemos se somos sábios, sabidos ou simplesmente saberemos se somos sabedores.
  25. Olha o sapo dentro do saco. O saco com o sapo dentro. O sapo batendo papo e o papo soltando o vento.
  26. A Iara agarra e amarra a rara arara de Araraquara.
  27. Fala, arara loura. A arara loura falará.
  28. Quem a paca cara compra, paca cara pagará.
  29. Bagre branco, branco bagre.
  30. A babá boba bebeu o leite do bebê.
  31. A mulher barbada tem barba boba babada e um barbado bobo todo babado!
  32. O que é que Cacá quer? Cacá quer caqui. Qual caqui que Cacá quer? Cacá quer qualquer caqui.
  33. Chega de cheiro de cera suja.
  34. Concluímos que chegamos à conclusão que não concluímos nada. Por isso, conclui-se que a conclusão será concluída, quando todas tiverem concluído que já é tempo de concluir uma conclusão.
  35. Um ninho de carrapatos, cheio de carrapatinhos, qual o bom carrapateador, que o descarrapateará?
  36. Quem era Hera? Hera era a mulher de Zeus.
  37. O desinquivincavacador das caravelarias desinquivincavacaria as cavidades que deveriam ser desinquivincavacadas.
  38. O doce perguntou pro doce qual é o doce mais doce que o doce de batata-doce. O doce respondeu pro doce que o doce mais doce que o doce de batata-doce é o doce de doce de batata-doce.
  39. O bispo de Constantinopla, é um bom desconstantinopolitanizador. Quem o desconstantinopolitanizar, um bom desconstantinopolitanizador será.
  40. Esta casa está ladrilhada, quem a desenladrilhará? O desenladrilhador. O desenladrilhador que a desenladrilhar, bom desenladrilhador será!
  41. O original não se desoriginaliza! O original não se desoriginaliza! O original não se desoriginaliza! Se desoriginalizásemo-lo original não seria!
  42. Fia, fio a fio , fino fio, frio a frio.
  43. Se o Faria batesse ao Faria o que faria o Faria ao Faria?
  44. Farofa feita com muita farinha fofa faz uma fofoca feia.
  45. Não sei se é fato ou se é fita. Não sei se é fita ou fato. O fato é que você me fita e fita mesmo de fato.
  46. A naja egípcia gigante age e reage hoje, já.
  47. Gato escondido com rabo de fora tá mais escondido que rabo escondido com gato de fora.
  48. La vem o velho Félix com o fole velho nas costas.Um limão, mil limões, um milhão de limões.
    Ao longe ululam cães lugubremente à Lua.
  49. Se a liga me ligasse, eu também ligava a liga. Mas a liga não me liga, eu também não ligo a liga.Maria-Mole é molenga. Se não é molenga, não é Maria-Mole. É coisa malemolente, nem mala, nem mola, nem Maria, nem mole.
  50. A vaca malhada foi molhada por outra vaca molhada e malhada.
  51. Os naturistas são naturalmente naturais por natureza.
  52. O padre pouca capa tem, porque pouca capa compra.
  53. Perto daquele ripado está palrando um pardal pardo.
  54. O princípio principal do príncipe principiava principalmente no princípio principesco da princesa.
  55. A pia perto do pinto, o pinto perto da pia. Quanto mais a pia pinga mais o pinto pia. A pia pinga, o pinto pia.
  56. Pinga a pia, pia o pinto. O pinto perto da pia, a pia perto do pinto.
  57. Há quatro quadros três e três quadros quatro. Sendo que quatro destes quadros são quadrados, um dos quadros quatro e três dos quadros três. Os três quadros que não são quadrados, são dois dos quadros quatro e um dos quadros três.
  58. Não confunda ornitorrinco com otorrinolaringologista, ornitorrinco com ornitologista, ornitologista com otorrinolaringologista, porque ornitorrinco, é ornitorrinco, ornitologista, é ornitologista, e otorrinolaringologista é otorrinolaringologista.
    Oratória e comunicação

    fale bem em público

  59. Toco preto, porco fresco, corpo crespo.
  60. Se o Pedro é preto, o peito do Pedro é preto e o peito do pé do Pedro também é preto.
  61. Pedro pregou um prego na porta preta.
  62. Paulo Pereira Pinto Peixoto, pobre pintor português, pinta perfeitamente, portas, paredes e pias, por parco preço, patrão.
  63. Pedreiro da catedral, está aqui o padre Pedro? – Qual padre Pedro? – O padre Pedro Pires Pisco Pascoal. –
  64. Aqui na catedral tem três padres Pedros Pires Piscos Pascoais como em outras catedrais.
  65. Se o papa papasse papa, se o papa papasse pão, se o papa tudo papasse, seria um papa -papão.
  66. Disseram que na minha rua tem paralelepípedo feito de paralelogramos. Seis paralelogramos tem um paralelepípedo. Mil paralelepípedos tem uma paralelepipedovia. Uma paralelepipedovia tem mil paralelogramos. Então uma paralelepipedovia é uma paralelogramolândia
  67. A rua de paralelepípedo é toda paralelepipedada.
  68. O Borges relojoeiro ruminara roendo raspas de raiz de romãzeira.
  69. Teto sujo, chão sujo.
  70. A vida é uma sucessiva sucessão de sucessões que se sucedem sucessivamente, sem suceder o sucesso.
  71. Fui caçar socó, cacei socó só, soquei socó no saco socando com um soco só.
    Caixa de graxa grossa de graça.
  72. Tecelão tece o tecido em sete sedas de Sião. Tem sido a seda tecida na sorte do tecelão.
  73. Uma trinca de trancas trancou Tancredo.
  74. Se cada um vai a casa de cada um é porque cada um quer que cada um vá lá. Porque se cada um não fosse a casa de cada um é porque cada um não queria que cada um fosse lá.

 

Há, ainda, alguns mais elaborados. Será que você é capaz de dar conta deles?

75. Não confunda ornitorrinco com 0torrinolaringologista, ornitorrinco com ornitologista, ornitologista com otorrinolaringologista, porque ornitorrinco é ornitorrinco, ornitologista é ornitologista e otorrinolaringologista é otorrinolaringologista.

76.Disseram que na minha rua tem paralelepípedo feito de paralelogramos. Seis paralelogramos tem um paralelepípedo. Mil paralelepípedos tem uma paralelepipedovia. Uma paralelepipedovia tem mil paralelogramos. Então uma paralelepipedovia é uma paralelogramolandia?

77. Há quatro quadros três e três quadros quatro. Sendo que quatro destes quadros são quadrados, um dos quadros quatro e três dos quadros três. Os três quadros que não são quadrados, são dois dos quadros quatro e um dos quadros três.

E ai como está se saindo?

Se você conhece algum outro trava-línguas que não esteja nesta lista, deixe o comentário aqui embaixo…

E se você quer melhorar sua comunicação e oratória, fale com a gente, nós podemos e queremos te ajudar!

Até breve!

 

 

 

4 simples lições de oratória que mudaram a vida de Warren Buffett

Heverson Barbosa Textos Leave a Comment

Você sabia que o lendário Warren Buffet ficava literalmente doente quando tinha que falar em público? Oratória

Aprenda como ele superou esta limitação e melhorou sua oratória para se tornar um dos homens mais ricos do mundo Oratória

Muitas pessoas nem imaginam que um dos homens mais influentes da atualidade dono de uma fortuna invejável já teve grandes problemas com a sua oratória.


O lendário investidor e empresário Warren Buffett costumava ficar  tão aterrorizado com os discursos em público, que ele ficava fisicamente doente antes de subir ao palco.


“Você não pode acreditar como eu me comportava quando tinha que falar em público”, lembra Buffett na biografia, “The Snowball: Warren Buffett e Business of Life”. “Eu vomitava”.

Mas o jovem investidor estava determinado a superar seu medo e incapacitante de falar em público e a até mesmo com com Susan Thompson, com quem Buffett mais tarde se casaria.

Assim, ele se matriculou em um curso de oratória. Depois de finalizar, Buffett estava confiante o suficiente para falar em público e, talvez o mais importante, pedir a Susan em casamento.

O CNBC relacionou 4 grandes lições que ajudaram Buffet a superar o tal “Medo de falar em público”, são dicas simples mas que aplicadas farão grande diferença para que você tenha uma oratória de alto nível, confira:

1. Mente de aprendiz

Uma das características mais marcantes de Buffet é a mentalidade de aprendiz, isso o torna além de uma pessoa muito mais interessante, também permite que ele tenha um conteúdo muito acima da média.

Um bom comunicador é ao mesmo tempo versátil em vários temas e profundo em sua especialidade e isso só é possível através de uma mente sempre aberta a aprender.

Não pense que oratória é um dom de pessoas abençoadas, não, muito pelo contrário, é uma HABILIDADE, que deve ser aprendida e desenvolvida por todos que desejam ser protagonistas em sua vida.

Uma das técnicas para nos sentirmos seguros nas apresentações em público é ter a certeza de que realmente temos domínio sobre o que vamos falar. Em outras palavras, se assumimos a condição de aprendizes e insistimos em pesquisar o máximo possível sobre o tema, as chances de fazermos uma boa apresentação são muito maiores.

2. Suas histórias e experiências são muito ricas, fale sobre elas

Falar sobre suas experiências, dificuldades e sucessos é o caminho mais curto para conquistar sua audência.

Buffet, muitas vezes incluia histórias engraçadas sobre sua vida e carreira, o que criava automaticamente uma conexão forte com a plateia.
Pense em alguns fatos, engraçados, surpreendentes e até mesmo tristes sobre sua vida, extraia alguma lição disso e utilize em suas apresentações, você vai se surpreender em como as pessoas vão se engajar na sua apresentação.

 

Não é segredo pra ninguém, o ser humano adora uma boa história.

3. Siga um roteiro utilizando notas

Se você assistir Buffett falar, você verá que ele raramente olha para um pedaço de papel.
Isso porque um dos principais princípios para um bom discurso é o roteiro bem estruturado.
Quando pensamos em roteiro, não estamos falando apenas em escrever uma lauda cheia de ideias, afirmações e refutações, mas sim de uma preparação profunda e estruturada, que compreenda um…

  • Início impactante
  • Conteúdo Relevante
  • Final Emocionante

Um roteiro organizado desta forma te dará a segurança necessária para falar com naturalidade a sua plateia. Mas lembre-se, nunca leve um texto para falar ao público, utilize sempre cartões pequenos e simples contendo apenas os principais tópicos a serem tratados na apresentação.

Se você tem dificuldades de criar um discurso ou apresentação estruturada que prenda a atenção da sua plateia do início ao fim, clique aqui e baixe agora esse e-book grátis que vai te ensinar o passo a passo para fazer apresentações no estado da arte.

 

4. Apaixone-se pelo seu tema!

A paixão e o entusiasmo com o qual transmitimos qualquer mensagem é diretamente proporcional ao engajamento.

Quantas vezes já vimos pessoas falaram de maneira tão apaixonada por qualquer tema que nos sentimos ao menos impelidos a conhecê-lo

Sorrir, ter “energia positiva” e exalar confiança faz uma grande diferença.
Warren Buffett tornou-se apaixonado por investir, ganhar dinheiro e alcançar o sucesso mesmo sendo jovem. Esse entusiasmo persistente ocorre em seus discursos e entrevistas o que o torna hoje uma referência de superação a

E ai gostou destas dicas, então coloque as em prática e deixe seus comentários aqui embaixo.

Muito Sucesso Pra Você!

Heverson Barbosa

Fonte Referência: https://www.cnbc.com/2017/02/03/4-public-speaking-lessons-that-changed-warren-buffetts-life

Oratória é a arte de transformar seus sonhos em realidade através da comunicação intencional e natural.
Heverson Barbosa.

 

Oratória e comunicação

fale bem agora!

TCC, e agora? 7 Top dicas para fazer bonito em sua apresentação.

Heverson Barbosa Textos Leave a Comment

O curso terminando, as férias se aproximando, a correria aumentando, e se aproxima a tão esperada e temida banca de TCC.

Para que este dia seja um dia incrível preparei algumas 7 para você fazer bonito em sua apresentação de TCC.

 Então vamos lá!
1. Prepare-se para o pior!  Uau, que dica terrível para começar… Não se assuste, não quero que pense que será um dia ruim, muito pelo contrário, será um dia incrível, mas tenha em mente que nenhuma técnica que eu for te ensinar, substituirá uma preparação profunda.
Quando eu faço este alerta, quero que tenha em mente todos os cenários possíveis, por exemplo: E se um projetor não funcionar, se seu carro quebrar, se um colega da equipe passar mal, se acabar a luz… Etc. Quanto mais bem preparado você estiver menos, sofrerá com possíveis imprevistos.

2. Ganhe a banca: Um início bem treinado que considere, agradecer à banca e ao orientador pela oportunidade e pela presença, soarão muito positivamente em sua primeira impressão, que com certeza refletirá na disposição dos mesmos em te assistirem e te avaliarem positivamente.

Não se esqueça de usar um vocabulário adequado para a ocasião! Nada de gírias como “tá”, “tipo”, “na verdade”. Atenção ao vestuário, deve ser sóbrio e adequado e ao mesmo tempo confortável.

3. Slides profissionais: Utilize os slides apenas como guia e não fique lendo o que está escrito, por isso é recomendável usar títulos persuasivos e imagens de boa qualidade para que o seu material transmita credibilidade e confiança no domínio do tema.

Não existe um padrão no que diz respeito a criação de slides, mas alguns elementos são muito bem vindos, por exemplo: a logo da universidade, o problema de pesquisa com objetivos, justificativa, considerações sobre o estudo com os autores estudados, o aprendizado, gráficos visualmente inteligíveis, metodologia, conhecimento adquirido e bibliografia. E atenção, evite slides cheios de efeitos, sons, e poluídos. Aqui em baixo deixarei um slide SOAP como modelo para você se inspirar.

4. Respire fundo: A respiração é fundamental para nos dar equilíbrio, por isso antes de entrar no palco, se concentre, respire calma e profundamente, imaginando sua apresentação, sua performance, de uma forma positiva e confiante.

5. Ouça músicas que te inspiram: para que você não entre relaxado de mais a ponto de parecer sem energia e confiante demais a ponto de negligenciar o básico, um friozinho na barriga é normal, o importante é você saber que você deu o seu melhor, domina o tema e tem uma performance bem treinada.

6. Cuide da sua postura: Evita ficar com os braços e pernas cruzadas, olhando para cima, pro lado, pra baixo, olhe para sua banca.

Apoie sua coluna, deixe a ereta com os dois pés cravados no chão para te dar equilíbrio e sustentação e use as mãos para complementar sua fala com leveza e elegância.

7. Treine, treine, treine: Na frente do espelho, filmando com seu celular, treine de ponta a ponta sua apresentação como se fosse literalmente para a banca, isso fará seu cérebro se acostumar com o cenário o que evitará o stress e a adrenalina da supresa e consequentemente os famosos brancos. (Um curso de oratória é uma grande ideia neste momento tão importante)

Agora que você já sabe as top 7 dicas para arrasar em sua apresentação de TCC, basta colocar em prática e se preparar para arrasar e comemorar mais esta vitória em uma etapa tão importante da vida.

Boa sorte protagonista!

Heverson Barbosa

 

Se você tiver alguma dúvida sobre oratória e comunicação, converse conosco, nós podemos e queremos te ajudar!

 

[email protected] 

 

Palestra Heverson Barbosa na UFPR – 3 simples passos para fazer discursos memoráveis e hipnotizantes

Heverson Barbosa Textos Leave a Comment

3 SIMPLES PASSOS PARA FAZER DISCURSOS MEMORÁVEIS E HIPNOTIZANTES FOI O TEMA DA PALESTRA DO PROFESSOR HEVERSON BARBOSA NA UNIVERSIDADE UFPR.

II Semana Acadêmica do Curso de Tecnologia em Secretariado UFPR 2017 aconteceu nos dias 25 à 29 de Setembro com o tema “Tendências e Desafios para a Atuação Profissional”, o objetivo foi proporcionar aos discentes do curso uma visão holística do mercado de trabalho secretarial, em face das novas habilidades e competências exigidas para atuação desse profissional na atualidade. As atividades propostas para semana visaram, ainda, apresentar novas oportunidades de atuação, promover a socialização e instigar a promoção de estudos e debates no ambiente acadêmico sobre as tendências e desafios para a atuação do Profissional de Secretariado. Os temas foram abordados por profissionais de destaque em suas respectivas áreas de trabalho. Os convidados tiveram informações que agregaram muito no aprendizado e conhecimento à formação acadêmica dos discentes a fim de complementar os conteúdos abordados em sala de aula. A Universidade Federal do Paraná, é mais antiga instituição de ensino com concepção de universidade do Brasil.

O prof. Heverson Barbosa uma das maiores autoridades do Brasil em oratória moderna e comunicação persuasiva, falou sobre como fazer apresentações e discursos memoráveis e hipnotizantes.

A palestra do professor Heverson Barbosa foi um verdadeiro show, os comentários a respeito do tema e principalmente a desenvoltura do palestrante foi destacado tanto pelos professores quanto pelos alunos.

O evento foi um sucesso tendo lotação máxima em todas as as sessões.

 

A Bíblia e a Comunicação

Heverson Barbosa Textos Leave a Comment

I. A IMPORTÂNCIA DE COMUNICAÇÃO – SALMOS 19:14

A. A Comunicação definida

Segundo o Dicionário Aurélio Eletrônico: comunicação é o ato ou efeito de comunicar (-se), que é de emitir, transmitir e receber mensagens. É a capacidade de trocar ou discutir idéias, de dialogar, de conversar, com vista ao bom entendimento entre pessoas. A comunicação social, próprias dos seres humanos, é baseada em sistemas de signos em oposição à comunicação baseado em sistemas de instruções ou comandos, como a se faz entre animais ou máquinas.

Qualquer tentativa de fazer saber ou tornar comum algo é de comunicar-se. Comunicação tem como objetivo de travar ou manter entendimento. É de ligar ou unir por exposição oral. – Novo Dicionário Aurélio, 1a edição.

Vendo essas definições, podemos concluir que comunicação é o ato de uma pessoa relatando à uma outra as suas idéias, sentimentos, crenças, sugestões ou ordens. Mesmo que se transmite sentimentos, a comunicação não é sentimentos em expressão, mas palavras expressando sentimentos. Geralmente, no contexto familiar, os problemas na comunicação centram no erro que comunicação é um diálogo de emoções. Não é. Comunicação é um dialogo de palavras que expressam as emoções.

Comunicação: Usando palavras para expressar pensamentos e emoções

B. Os Exemplos de Comunicação

1. Deus fez o homem na sua própria imagem que determina a diferença do homem de qualquer outra parte da criação. Foi ao homem que Deus dirigiu quando a sua voz “passeava no jardim pela viração do dia” (Gên. 3:8-12). Então o primeiro exemplo de comunicação humana na Bíblia é Deus com o homem. Para ter o sublime exemplo de como comunicar bem e efetivamente o amor, desgosto, dor, doutrina, repreensão e como dar uma variedade de lições para grupos diversos de seres tanto humano como angélico, estude as próprias conversas de Deus relatadas na Bíblia Sagrada. 

2. A própria Bíblia é a comunicação de Deus para o homem na qual tudo que Deus quer revelar para o homem é relatado, e isso para sua esperança (Rom 15:4). É com palavras que Deus usa para nos comunicar a Sua mente. Podemos estudar Êxodo 20 (os dez mandamentos) para ver que quando Deus trata assuntos de altíssima importância, Ele, mesmo assim, mantém as palavras diretas mas de fácil compreensão.

3. O Espírito Santo comunica com o mundo em geral (Sal 145:9; Prov. 21:1; Atos 17:27,28), e com os eleitos em particular (João 14:26; 15:26; 16:7-14). Mesmo que o Espírito de Deus reprova ou conforta e isso na Sua maneira misteriosa Ele comunica trazendo a nós as palavras de Deus (Luc 12:12; João 14:26). Nisso podemos dizer que Ele também comunica usando expressão verbal e é um exemplo notável de comunicação (Isa 30:21, “ouvirão a palavra…”).

4. A natureza declara as coisas invisíveis de Deus, “desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade” de uma voz tão eficaz que todos “se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas” que eles ficam “inescusáveis” (Rom 1:20). É dita que a natureza usa uma voz e palavras numa linguagem que “estende por toda a terra” (Sal 19:1-4). Então podemos dizer que a natureza é ativa em comunicação também e merece menção como uma meta para nós imitarmos em nossas conversas.

5. Oração é uma transmissão de mensagem a Deus pelo homem, e mesmo que esta atividade envolve sentimentos que vem das profundezas do coração, ela não escapa de ser uma exposição oral de uma pessoa a uma outra (I Samuel 2:1-4; Mat. 6:9-13).

6. Diversos:

Rute estabeleceu a sua firmeza de propósito à Noemi (Rute 1:15-18) tornando comum a sua disposição verbalmente mas isso sem briga, xingamentos, ou exposições que descaracterizaram ninguém.

Na ocasião de Jesus ser ungido com um ungüento de grande valor, alguns dos discípulos de Jesus indignaram-se.

Mesmo nesta altura de emoção podemos ter um exemplo de como expressar um ponto de vista contrario ao que está sendo exposto (Mat. 26:6-13) tanto dos discípulos como de Cristo. Veja também Paulo conversando com Pedro – Gal. 2:11-13.

No encontro com Satanás temos o exemplo de Cristo (Luc 4:3-14), dos anjos (Judas 9) e os mandamentos para nós (I Ped 5:8,9), todos dos quais envolvem manifestações verbais sem a liberdade que a natureza pecaminosa do homem seja inflamada.

Vendo estes exemplos de comunicação pela Bíblia somos instruídos como devemos enunciar nossas idéias e sentimentos um para com o outro e para com Deus também.

II. MÉTODOS DE COMUNICAÇÃO

A. Conferência

“Quando não há conselhos os planos se dispersam, mas havendo muitos conselheiros eles se firmam.” Provérbios 15:22 (veja Prov. 11:14).

O método de comunicação chamada “conferência” é o que é praticado pelas grandes firmas quando querem recolher idéias novas, opiniões diferentes e pontos de vista particulares das pessoas envolvidas com a firma. Tudo é exposto e examinado por todos presentes. Ninguém espera que a sua idéia seja adotada em totalidade.

Na conferência participam os que vão tomar a decisão final mas não é sempre feita essa decisão final naquela mesma hora. Os fatos levantados, os desejos expostos, as idéias conversadas são considerados para depois serem feitas as decisões.

Também este método é usado para resolver hábitos ruins, praticas não ortodoxas ou para prevenir algo mal de acontecer. Ninguém sente ofendido ou apontado quando todos estejam presentes e o problema esteja generalizado entre todos. É esperado ouvidos atentos quando a sábia repreensão soa (Prov. 25:12). Tais ouvidos “farão a sua morada no meio dos sábios” (Prov. 15:31).

No ambiente do lar, o pai toma o lugar do presidente duma firma e aquele que precisa de tomar a decisão final. Os membros da família tomam o lugar na firma dos que tem idéias, conselhos, pontos de vista diferentes para exporem.

A hora exata que uma “conferência” se reúne é determinada pela necessidade. Durante a preparação de uma viagem, antes de fazer uma grande compra ou de planejar uma visita já são suficientes razões para chamar todos juntos para recolher os desejos, medos, e opiniões dos que vão ser influenciados pela atividade final. Quando a direção do lar percebe uma pratica generalizada que é uma má influência na família já pode convocar uma reunião para fazer as observações necessárias.

A utilidade desse método é que aquele que precisa tomar a decisão final pode a fazer considerando muitas idéias além das que só ele tem. Duas cabeças são melhor do que uma. Também um grande mal que está espalhando pela família já pode ser conversado com todos juntos, e tanto a pessoa errada quanto os membros inocentes podem tomar uma atitude sábia da advertência pública.

Como há duas valetas nos dois lados de uma rua também há exageros nas duas extremidades deste método. Esse método nunca deve ser usado para comprometer uma verdade ou princípio Bíblico. Só porque todos no lar (ou igreja) estão unânimes sobre uma certa prática ou idéia não significa que ela tem que ser adotada. Se a Bíblia expressou-se já, não há discussão eficiente capaz de mudar a sua verdade. Neste caso a cabeça do lar (ou responsável da igreja) tem que se mostrar firme para guiar a decisão para o que é mais certo ser adotado, mesmo contra a maioria.

“Confia no SENHOR de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas.” Provérbios 3:5,6.

B. Repetitiva

“Todavia eu antes quero falar na igreja cinco palavras na minha própria inteligência, para que possa também instruir os outros, do que dez mil palavras em língua desconhecida.” (I Cor 14:19)

Esse método é usada geralmente quando há só duas pessoas conversando mas pode ser adaptado para uso com mais pessoas também. O alvo deste método é eliminar confusão que vem entre pessoas por desentendimento ou mal interpretação de que foi comunicado. A pessoa que está ouvindo pode assegurar que está entendendo o que está ouvindo colocando o que está entendendo em suas próprias palavras e repetindo-o verbalmente. Quem está falando assim confirma o que o outro está entendendo e pode adicionar um ponto esclarecedor para ajudar ainda o ouvinte a entender melhor.

Esse método ajuda em muito todos os envolvidos a pensarem melhor do que estão conversado e pode até forçar quem está falando a pensar melhor do que está querendo transmitir. Certamente, terão menos confusão entre todos que usam esse método nas oportunidades de conversa no lar.

Pode pensar de outros métodos?

III. PROBLEMAS DE COMUNICAÇÃO

“Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes.” I Cor 15:33
“Põe, ó SENHOR, uma guarda à minha boca; guarda a porta dos meus lábios.” Salmos 141:3

A. Ênfase além do necessário

1. O Problema

Por causa de limitações de vocábulos, pressa em falar ou de má companhia hábitos de dar ênfase entram na comunicação. Hábitos bem como expressões sonoras (que é a emissão de um som intenso. Por exemplo gritaria ou só sons emitidos para expressar algo) ou expletivas (verbete que é desnecessário ao sentido da frase) podem tornar parte dos hábitos de conversação tanto que as comunicações entre duas dessas pessoas logo parece papagaios gaguejando.

2. A Solução

Jesus ensinou os seus discípulos de não jurar “de maneira nenhuma; nem pelo céu, nem pela terra, nem por Jerusalém (coisas santas) nem por tua cabeça”. A instrução é de deixar o falar “Sim , sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna” Mat. 5:33-37.

“A vossa palavra seja sempre agradável” Col. 4:6.

B. Hábitos sujos

1. O Problema

O que é no coração logo acha expressão pela boca. Meditações banais, alimentação visual de programas menos virtuosos pela televisão e amigos com boca suja enchendo os nossos ouvidos de palavras torpes logo influenciam-nos de comunicar-nos com hábitos sujos. Sinais visuais bem como expressões faciais e sinais do corpo tornam parte de uma comunicação com hábitos sujos tanto quanto a falar de palavras torpes (Prov. 6:12-14).

2. A Solução

Antes de Paulo nos instruir de despojar-nos de ira, da cólera, da malícia, da maledicência e das palavras torpes da vossa boca, ele nos exorta de pensar nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra (Col. 3:2,8). Então no básico, é necessário ter pensamentos altos bem como tudo que é verdadeiro, honesto, justo, puro, amável e de boa fama (Fil. 4:8). E isto ele fala à igreja em Colossos tanto quanto em Éfeso dizendo que não deve sair nenhuma palavra torpe da nossa boca, !mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem? (Efés 4:29). “Faça-se tudo para edificação” (I Cor 14:26). Lembre-se da instrução de Filipenses 2:14, “Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas.” “Como é que com a mesma língua bendizemos a Deus e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus? De uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim.” (Tiago 3:9,10).

Para quebrar hábitos ruins de conversação é necessário mudar os pensamentos primeiro. Algumas dicas seguem: Agradeça a Deus constantemente, memorize versículos da Bíblia, cante hinos no coração e leva “cativo todo o entendimento à obediência de Cristo” (II Cor 10:5). Assim a mente será melhor preparada para ter uma palavra “sempre agradável, temperada com sal” e você pode ser sábio para responder a cada um como convém (Col. 4:6).

C. Companhia má

1. O Problema

Os que querem ter cuidado do que sai das suas bocas não podem ter por amigos íntimos os que não tenham a mesma precaução. O sábio Salomão instruiu o seu filho, “Não sejas companheiro do homem briguento nem andes com o colérico, para que não aprendas as suas veredas, e tomes um laço para a tua alma?” (Prov. 22:24,25). Logo o que um na roda faz, inconscientemente os outros adotam como maneiras aceitáveis de comportamento. Esses amigos podem ser não só pessoas que conhecemos pessoalmente mas com quais gastamos tempo mesmo sem nos encontrar pessoalmente. Esses contatos podem ser feitos pelos programas de televisão que não ensinam praticas virtuosas, livros que não apoiam princípios morais ou até musicas que não incitem pensamentos ou ações agradáveis ao Senhor.

2. A Solução

Não há costumes tidos como excelentes ou maneiras tão aceitáveis pela sociedade que uma má conversação pode tornar ser desejada. Seria engano pensar de outra maneira conforme I Coríntios 15:33. Se as suas amizades não te ajuda andar no caminho aceitável, andar com eles não pode ser mais aceito. “Que comunhão tem a luz com as trevas?” (II Cor 6:14).

Invista em filmes que educam, livros que são saudáveis e musicas que alegram o Senhor ou que não desfazem um ambiente agradável para pensar pensamentos altos e criar amigos morais de hábitos bons.

D. Falta de cortesia comum

1. O Problema

Tanto mais intimidade que temos com alguém menos cortesia comum usamos. Cortesia comum seria o uso das palavras “por favor”, “obrigado”, “com licença”, “desculpe”, “bom dia”, “como vai?”, etc. Inclui também hábitos como de manter contato ocular com a pessoa com quem está conversando, e considerando o que está sendo comunicado e respondendo às perguntas feitas com atenção. Nada pior do que precisar ficar repetindo a comunicação por causa da insistência da pessoa com quem estamos conversando de continuar fazendo os fazeres dela e não dando a atenção devida à conversa.

2. A Solução

“Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós, porque esta é a lei e os profetas.” Mat. 7:12.

Queremos que os outros sempre nos tratem com respeito e com uma certa diplomacia. Até muitas vezes julgamos a cultura e grau de educação de um povo pelo discernimento que tenham entre os tratos pessoais e pelas conversas. Outros nos vêem do mesmo jeito. Convêm usarmos para com os outros a mesma cortesia que queremos que os outros usem conosco. Não querendo ser tratados com pouca cortesia convém também não ficarmos displicentes nesta área com quem mais amamos, mas, de melhor maneira possível, com os que amamos mais devemos mostrar tal amor pela cortesia comum na comunicação diária.

Lembramo-nos aqui que o que diferencia nós dos animais e das maquinas é a comunicação; então grunhidos e sons similares devem ser reservados para quando conversamos tanto com os animais quanto com as maquinas.

1. O Problema

“Jogar Verde” é uma pratica universal que a sociedade usa para transmitir indiretamente assuntos. Significa remeter abertamente um assunto secretamente. Nem sempre a intenção do remetente é saudável. O mal desta pratica é que a pessoa a qual é endereçada a mensagem mal interpreta a mensagem ou até nem a recebe. Nem todos têm capacidades de um telepatia ou de um psicólogo que podem decifrar mensagens vagas ou codificadas. Por esta falta de certeza que a mensagem está sendo recebida faz que está pratica de “jogar verde” torna de ser um problema na comunicação.

2. A Solução

“… falai a verdade cada um com o seu próximo…” Efés 4:17-32

Devemos lembrar que comunicação envolve não só em dispor de pensamentos verbalmente mas também a qualidade de assegurar que os que estão dirigido a comunicação entendam-se bem. Jesus falou em parábolas para deixar enigmais sabendo dos corações duros dos homens a quem ministrava (Mat. 13:13-15) mas em outras ocasiões falava com autoridade e doutrina não deixando nenhuma dúvida (Mat. 7:28,29; João 12:42-50). Se não queremos deixar dúvidas nem enigmas é melhor transmitir as mensagens direitamente e não “jogar verde”. A instrução é “Pedi, e dar-se-vos-á” (Mat. 7:7) uma coisa que só pode ser feita deixando claro o que está dizendo.

F. Falta de Verdade

1. O Problema

Por muitas razões a comunicação torna menos que verdadeira. Pode ter razões altas e intenções sinceras para não dizer a verdade mas falar algo além do que é verdadeiro é mentira. Ananias e Safira a sua esposa manipulavam a verdade (Atos 5). Pedro vivia uma vida dupla (Gal 2:11) nem os filhos do sacerdote Eli (I Sam 2:12-17). Alguns dos discípulos tinham intenções secundárias com o dinheiro de Maria em João 12:1-11. Todos estes exemplos foram repreendidos duramente (até com morte).

2. A Solução

Põe, ó SENHOR, uma guarda à minha boca; guarda a porta dos meus lábios.” Sal 141:3

É melhor falar nada do que falar algo mentiroso ou que não convém (Tiago 1:19). Criar hábitos de só falar o que é de verdade mesmo e não o que só acha que é a verdade ou o que quer que o outro entenda. Mentira é coisa séria diante de Deus (Prov. 12:22) e não se acha alguém no céu que contamine, cometa abominação e mentira (Apoc 21:27). Se a mentira não vai entrar no céu convém que mentira não sai da boca do crente, nem entre nos pensamentos dele. Se temos pensamentos verdadeiros (Fil. 4:8) teremos virtude. Podemos orar como Davi em Salmos 120:2, “SENHOR, livra a minha alma dos lábios mentirosos e da língua enganadora.”

G. Fugir do Assunto

1. O Problema

Quando um assunto constrangedor está sendo levantado a tendência dos seres humanos é sair de fininho para não o tratar. Um forte desejo de nos poupar está em prática quando fugimos dum assunto. É visto quando uma pessoa que está recebendo uma mensagem que possa ser difícil de aceitar muda repentinamente o assunto, disfarça que não está escutando, se cala, ou focaliza numa só palavra que foi dita e começa de falar dessa palavra e assim, cria um desvio do assunto maior. Todas essas manobras tornam ser problemas na comunicação pois muda ou pára o trajeto da conversa.

2. A Solução

Para não fugir do assunto é necessário uma certa responsabilidade de assumir qualquer delito que está sendo tratado. Pode ser que o delito é nosso ou pode ser que seja de outro. O necessário é ouvir o assunto por completo e de avaliar o sem armar manobras para escapar. Se alguém fala conosco de um assunto que pode nos melhorar, mesmo nos ferindo (Prov. 27:6), convém que consideremos tudo para sermos ajudados. Se o assunto realmente não pertence a nós uma conversa ajuda de explicar porquê não.

Também um respeito mútuo da pessoa que está conversando conosco é necessário. Se tratamos com respeito os que estão conversando conosco, podemos ver que eles usam respeito também nos seus tratos conosco.

Pensar do significado da conversa que as palavras empregadas só transmitem em vez de focalizar na escolha das atuais palavras usadas pode ajudar a recepção da mensagem que está sendo comunicada a nós. Palavras podem significar uma multiplicidade de coisas e são nada menos que códigos para transmitir idéias de uma pessoa para uma outra. É melhor atentar no que está sendo comunicado que as palavras usadas para comunicar.

H. Descontar problemas pessoais nos outros

1. O Problema

Cada pessoa é o resultado de fatores fora do seu controle. Os pais que uma pessoa tem não foram escolhidos pelo filho. O ambiente onde o filho foi criado não foi desenvolvido completamente pelo filho. Os irmãos ou irmãs que qualquer tem não foi resultado dos conselhos nossos. A situação financeira bem como a situação política do país sobre qual somos gerados não podiam ser previstas por nós antes de sermos criados nestas situações. Há fatores múltiplos que formam e influenciam nossas personalidades dos quais não temos nenhum, ou no máximo, pouco controle.

Se uma pessoa tem sido criada onde não existia amor no lar essa falta vai causar problemas na pessoa assim criada. Ela não vai saber mostrar amor aos outros. Se uma pessoa tem sido criada onde brigas e gritarias eram comuns, essa pessoa vai trazer esses traços da sua vida velha no lar que eventualmente fará. Se à uma pessoa nunca foi negada algo quando criança, quando adulto vai esperar que todos dobram para a satisfazer.

Esses problemas pessoais, mesmo não podendo sempre ser definidos por si mesmo, tornam de fazer parte da nossa personalidade e podem destruir o ambiente de amor e respeito que deve ser feito no lar expressos pela comunicação. Isso, quer dizer, se nós assim permitirmos.

2. A Solução – Tiago 1:5

Ainda que não podemos determinar muitas condições e influencias em torno de nós, podemos determinar a nossa reação diante das situações ao nosso redor. Não temos que ser necessariamente levados para onde a nossa vontade e sabedoria não querem. Uma vez que temos responsabilidade do nosso destino não precisamos de ser influenciados pelos outros além daqueles que nós resolvemos ser influenciados; podemos nós mesmos definir o “quem” e o “que” que nos influencia. Uma vez que sabemos o certo do errado tornamos responsáveis de fazer a escolha certa. Se percebemos que uma pratica dos nossos pais, dos nossos irmãos ou das nossas irmãs, etc., não convém ser repetida somos responsáveis por não deixar tal pratica fazer parte da rotina da nossa vida.

Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece. (Fil. 4:13) nos ensina que podemos fazer o que devemos. Temos, como filhos de Deus, o poder de Deus a fazer o que é certo. Se não recorremos ao poder de Deus para ser o que devemos nunca venceremos as práticas más e destrutíveis que herdamos do nosso passado. Culpar os nossos pais, o ambiente na qual fomos criados, etc., não é aceitável e torna de ser só um escape não assumir a responsabilidade das nossas próprias ações.

Estar em Cristo indica uma nova natureza (II Cor 5:17), uma vida que vai brilhando mais e mais na justiça (Prov. 4:18) onde as coisas velhas já passaram e tudo se fez novo; um processo de conformidade à imagem de Cristo – santificação (Rom 8:29). Quando percebemos algo na nossa personalidade que não convém à glória de Deus, a ação certa será de confessar tal ação como pecado e procurar a graça de Deus para aplicar os conceitos justos e Bíblicos no seu lugar (Mat. 7:12).

I. Aprimorar o negativo

1. O Problema

Sempre há uma historia pior que uma outra. Sempre há uma experiência mais grotesca que uma outra. A carne gosta de atingir níveis piores. Experimente relatando uma tragédia numa roda de amigos e observe se pelo menos mais uma tragédia pior não será levantada por alguém. Isso pode tornar um hábito mal que leva qualquer conversa para o lado negro e negativo da vida.

O mal na raiz deste problema é o orgulho. A pessoa que pode contar a coisa mais desagradável é considerado o mais estudioso e o melhor informado por muitos. Se podemos ser mais chatos que o outro e descrever coisas mais negras na vida, serão então percebidos pelos amigos, pensem estes, como exemplar e modelos para serem seguidos. Tornam a ser quase como os gentios, !que pensam que por muito falarem serão ouvidos.” (Mat. 6:7).

Este é um problema na comunicação pois leva tudo para o exagero e para o lado negativo, praticas que tornem os que praticam tal maneira a ser escarnecido pelos que pensam mais adequadamente.

2. A Solução

Filipenses 4:8 ensina que teremos virtude e louvor se pensamos no que é verdadeiro, honesto, justo, puro, amável e de boa fama (Sal 1:2).

Para manter pensamentos bons pode ser preciso afastar-se da roda de amigos (Sal 1:1). Quando a conversa começa ser menos do que saudável é a hora de tentar contornar a conversa e falar de algo positivo e saudável ou pedir licença para poder retirar-se do local. Nem tudo o que é verdadeiro convém ser conversado especialmente quando trata do lado devasso da vida. As conversas negras podem contribuir para a destruição de boas maneiras (I Cor 15:33). Quando um pensamento negativo começa de aparecer convém praticar o que Tiago 1:19 nos exorta, !Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar.”

Se nossos pensamentos estiverem bons, as palavras serão doces. Se nossas palavras estiverem doces, o ambiente no lar será saudável. “Sede meninos na malícia, e adultos no entendimento” II Cor 14:20.

IV. O ALVO DA COMUNICAÇÃO

“E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.” Colossenses 3:17

O alvo de comunicação no lar não é nada diferente que o objetivo de viver que é de glorificar Deus em toda parte das nossas vidas (Ecl. 12;13; Rom 16:28; I Cor 10:31; I Ped 4:11). A comunicação pode ser útil para glorificarmos Deus ou pode ser usada para glorificar-nos a nós mesmos ou um outro homem. A exortação é:

  • Efésios 4:24, “E vos revistais do novo homem”
  • Colossenses 4:6, “a vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal”
  • Tito 2:7,8, “Em tudo te dá por exemplo de … linguagem sã e irrepreensível”

A. O QUE A BOA COMUNICAÇÃO NÃO É

1. Comunicação corrupta – Col. 3:8

2. Manipulação – Juizes 16:16,17 (Num 14:36)

3. Murmurações – Fil. 2:14

B. O QUE A BOA COMUNICAÇÃO É

“Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, SENHOR, Rocha minha e Redentor meu!”- Salmos 19:14

1. Ações de Amor – Mar 12:31; I Cor 13:8

É bom lembrar que diferenças de opinião não são necessariamente defeitos numa personalidade. Quem é que nos faz ser diferentes (I Cor 4:7)? As diferenças que existem em cada pessoa enfatiza o fato que esforços vão precisar ser exercitados para termos boa comunicação um com o outro. Quando consideramos as diferenças de cada pessoa e procuramos de aproveitar o bom que cada um pode oferecer estamos mostrando ações de amor tanto para aquela pessoa quanto a seu Criador.

2. Escutando – Tiago 1:19

É bom considerar porque Deus nos deu duas orelhas e uma só boca. Pode ser que devemos ouvir duas vezes mais que falamos. Um bom conversador sabe bem escutar os outros. E por falar de escutar, já percebeu que quando a boca está aberta, a mente já parou de coletar conhecimento? Portanto, para crescer em conhecimento, são os ouvidos que devem ser abertos e não a boca.

Fonte: http://palavraprudente.com.br/vida-crista/familia-vida-crista/comunicacao-no-lar/

 

Versículos Bíblicos que falam sobre comunicação, oratória e até persuasão.

Heverson Barbosa Textos Leave a Comment

Que a comunicação dentro do contexto bíblico é algo super importante, isso ninguém discute, mas saber onde está escrito vai ajudar muito suas pesquisas sobre o tema, oratória, comunicação e falar em público.

Versículos Bíblicos que falam sobre comunicação, oratória e até persuasão.

 

— Aconselham

Pv 27.9 – Como o óleo e o perfume alegram o coração, assim, o amigo encontra doçura no conselho cordial.

Agradam

Pv 10.32 – Os lábios do justo sabem o que agrada, mas a boca dos perversos, somente o mal.

Pv 15.26 – Abomináveis são para o SENHOR os desígnios do mau, mas as palavras bondosas lhe são aprazíveis.

Pv 16.13 – Os lábios justos são o contentamento do rei, e ele ama o que fala coisas retas.

Pv 22.11 – O que ama a pureza do coração e é grácil no falar terá por amigo o rei.

Alegram

Pv 12.22 – Os lábios mentirosos são abomináveis ao SENHOR, mas os que agem fielmente são o seu prazer.

Pv 12.25 – A ansiedade no coração do homem o abate, mas a boa palavra o alegra.

Pv 23.15, 16 – Filho meu, se o teu coração for sábio, alegrar-se-á também o meu; exultará o meu íntimo, quando os teus lábios falarem coisas retas.

Curam

Pv 12.18.b – Alguém há cuja tagarelice é como pontas de espada, mas a língua dos sábios é medicina.

Pv 16.24 – Palavras agradáveis são como favo de mel: doces para a alma e medicina para o corpo.

Falam a verdade

Pv 12.17 – O que diz a verdade manifesta a justiça, mas a testemunha falsa, a fraude.

Fortalecem

Pv 15.30 – O olhar de amigo alegra ao coração; as boas-novas fortalecem até os ossos.

Ensinam, edificam

Pv 13.14 – O ensino do sábio é fonte de vida, para que se evitem os laços da morte.

Pv 15.2 – A língua dos sábios adorna o conhecimento, mas a boca dos insensatos derrama a estultícia.

Pv 15.7 – A língua dos sábios derrama o conhecimento, mas o coração dos insensatos não procede assim.

Libertam do mal

Pv 12.6 – As palavras dos perversos são emboscadas para derramar sangue, mas a boca dos retos livra homens.

Pv 14.25 – A testemunha verdadeira livra almas, mas o que se desboca em mentiras é enganador.

Permanecem

Pv 12.19 – O lábio veraz permanece para sempre, mas a língua mentirosa, apenas um momento.

Persuadem

Pv 16.23 – O coração do sábio é mestre de sua boca e aumenta a persuasão nos seus lábios.

Pv 25.15 – A longanimidade persuade o príncipe, e a língua branda esmaga ossos.

Promovem a paz

Pv 12.20 – Há fraude no coração dos que maquinam mal, mas alegria têm os que aconselham a paz.

Pv 15.1 – A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.

Repreendem

Pv 25.12 – Como pendentes e joias de ouro puro, assim é o sábio repreensor para o ouvido atento.

Respondem adequadamente

Pv 15.23 – O homem se alegra em dar resposta adequada, e a palavra, a seu tempo, quão boa é!

Vivificam

Pv 10.11 – A boca do justo é manancial de vida, mas na boca dos perversos mora a violência.

São o fruto do coração sábio

Pv 16.23 – O coração do sábio é mestre de sua boca e aumenta a persuasão nos seus lábios.

 

Fale conosco! 

Copywriting e Oratória: Descubra como melhorar seus discursos e apresentações usando esta técnica poderosa

Heverson Barbosa Textos Leave a Comment

Neste artigo você vai aprender como usar copywriting, esta técnica poderosa para criar discursos e apresentações hipnóticas do início ao fim. 

 

O termo é relativamente novo, e o seu real significado é bem diferente de apenas “redação publicitária”. Copywriting, ou, na tradução do português, “redação publicitária”, trata-se da técnica de “redação de marketing”, ou seja, a produção de textos especializados em fechamentos de conversão. Em outras palavras, é a técnica utilizada para “influenciar/persuadir” o leitor à uma tomada de decisão.

Copywriting, Discursos e Oratória.

Um bom discurso deve ser construído sob a premissa de um início impactante, conteúdo relevante e final emocionante, como eu trato no E-book; Discursos Memoráveis, mas a questão é como transformar o seu conteúdo em um conteúdo relevante para sua audiência? A copy (forma que é conhecida a produção do copywriter) possui os elementos ideais para esta criação pois se baseia em dados de marketing, alto uso de gatilhos mentais (ou atalhos mentais, explicarei como funcionam mais adiante) e técnicas de eliminação de objeções, uma mistura que tem o poder de deixar sua audiência vidrada do início ao fim da apresentação.

Principais técnicas de copywriting

Existem diversas técnicas de Copywriting, porém, listarei aqui as principais delas para que você entenda melhor os processos que os copywriters usam para aumentar suas conversões e você utilizará para construir sua palestra.

Integração com os dados de marketing

Não tem milagre, você precisa conhecer sua plateia! Para escrever algo que com certeza influencie uma ação no seu consumidor, o copywriter precisa conhecê-lo. Não só conhecer como entender a fundo às preferências do seu cliente, como sonhos, medos, valores, poder aquisitivo, dados psicográficos, aspirações, motivações, etc. Assim como você deve conhecer seu público alvo.

Eu gosto da técnica 5w2H para começar, mas ainda pode ser muito mais explorado, afinal de contas somos seres complexos e quanto mais profundo você chega, mais conectado e preciso você se torna na comunicação com seu público.

What – O que será feito (etapas)
Why – Por que será feito (justificativa)
Where – Onde será feito (local)
When – Quando será feito (tempo)
Who – Por quem será feito (responsabilidade)
How – Como será feito (método)
How much – Quanto custará fazer (custo)

Gatilhos mentais (ou atalhos mentais)

Gatilhos mentais são basicamente mecanismos cerebrais que tem como objetivo tornar mais rápido o processo de decisão da pessoa, evitando que isso tome muito do nosso tempo e energia.
De acordo com Robert Cialdini, no livro As Armas da Persuasão,  o comportamento humano é governado por seis princípios psicológicos fundamentais, que geralmente nos levam a agir de forma quase que automática: reciprocidade, coerência, aprovação social, afinidade, autoridade e escassez. Veja abaixo o que significa cada um e como isso pode te ajudar a construir discursos e apresentações impossíveis de serem ignoradas.

Coerência: Somos neurologicamente falando, seres coerentes, o princípio da coerência baseia-se em cumprirmos algo a que nos determinamos previamente, e, contamos para alguém. Quando fazemos isso, temos uma “pressão” que nos influencia a realizarmos o que nos propomos anteriormente.
Eu particularmente uso este recurso logo no começo das minhas palestras e treinamentos quando pergunto a minha audiência se eles verdadeiramente querem transformação e estão dispostos a se dedicarem ao treinamento, isso gera um comprometimento que melhora consideravelmente a participação e energia dos mesmos, consequentemente o treinamento fica mais rico e proveitoso para todos.

Antes de prosseguir quero fazer um adendo para alertar sobre a necessidade de integridade na utilização dessas técnicas. Perceba que o objetivo de eu utilizar a técnica da coerência logo no início dos treinamentos e workshops tem um objetivo claro e íntegro, causar maior comprometimento e resultado para o meu público, ou seja desta forma estou melhorando sua experiência e assim todos sairão ganhando.

Reciprocidade:Como bons seres humanos que somos, nossa tendência é de retribuir favores e tratar as pessoas da mesma forma que nos tratam. Pense no caso daquela amostra grátis que você ganhou em uma ação de degustação, e depois acabou levando o produto.
Uma das dicas de ouro da oratória moderna é: Falar com pessoas e não para pessoas, ou seja buscar conexão e proximidade com as pessoas é fundamental, quando você entrega um conteúdo de muito valor para sua plateia, ela se sente em “dívida” com você e muitas vezes você, vende sem precisar fazer aqueles pitchs longos de venda. Essa “regra” é respeitada como se fosse uma conduta social, onde quem a “desobedece” é visto com maus olhos pelas outras pessoas. É a resposta positiva de um pedido que, com certeza a pessoa diria não, caso não tivesse sido feito nada por ela anteriormente.

Uma das coisas mais legais da vida de palestrante e treinador é conhecer muita gente, mas lembrar o nome de todo mundo é impossível, mesmo sabendo disso, ainda sim fico constrangido quando alguém vem falar comigo me chamando pelo nome, contando alguma história sobre mim, etc. Pois ela deu algo bom (Meu nome) o maior elogio de todos e eu não consegui RETRIBUIR, a altura. Por isso utilizar o nome do cliente é uma técnica poderosa pois dispara vários gatilhos mentais entre eles, a reciprocidade e afinidade.

Prova social: É natural do ser humano essa coisa de “ser sociável”, fazer parte de um grupo ou uma comunidade. E para isso, precisamos seguir  e concordar com a maioria que convivemos. Exemplos: Se a maioria das pessoas fala bem de um determinado local, é porque o mesmo é bom; Empresas com muitos seguidores nas redes sociais; A prova social é o princípio que “diz” que as pessoas tem a tendência a seguir o comportamento de outras pessoas por isso ao falar em sua apresentação sobre seu produto ou serviço sempre comente como ele está sendo um sucesso, que os melhores usam, que 8 em cada 10… Etc. Claro desde que isso seja verdade, por isso sugiro que você estude bem seu produto ou serviço e perceba no que ele pode ser socialmente bem sucedido.

Uma época sempre almoça num determinado shopping e percebia que na praça de alimentação tinham dois restaurantes que dividiam parede, mas por causa do meu horário de almoço ambos já estavam um pouco mais vazios, mas eu olhava para o letreiro de senha o restaurante a estava na senha 145 o b 328, e essa proporção sempre se repetia, o que me estimulava a ir no restaurante com mais senhas, afinal se mais pessoas comem lá, deve ser melhor. Um dia eu fui almoçar bem mais cedo pois tinha uma reunião logo após o almoço e quando cheguei na praça por volta de 11:20h da manhã olhei o letreiro e o placar estava 03 x 101, isso me deixou muito curioso então eu comentei com a atendente, uau 11:20h ainda e vocês já atenderam 101 clientes, então ela me disse: Não, o senhor é o primeiro, nosso painel está estragado, ele começa do 100.

Afinidade: Temos uma forte tendência a gostar das coisas que nossos amigos gostam. Consequentemente, praticamente tudo o que nos é indicado por eles, com certeza também é bom para nós. Daí o princípio da afinidade. Eu sempre digo que “o cantor é mais importante do que a música”, ou seja se as pessoas gostarem de você, elas vão gostar do que você está falando, pra isso você precisa criar afinidade com sua plateia logo nos primeiros minutos da sua palestra.

Autoridade: Quem nunca fez algo porque alguém que era “especialista” recomendou? Também é tendência do ser humano confiar nos “mais experientes”, naqueles que tem mais tempo de trabalho. Esse tipo de autoridade nos transmite credibilidade, confiança.
Ao começar sua apresentação você deve criar autoridade através da sua experiência, formação, ou conhecimento aprofundado sobre o tema, mas lembre-se fale isso de forma sutil natural e de preferência dentro de um contexto, evite falar como se estivesse em uma entrevista de emprego lendo seu currículo.
Por exemplo: Olá amigos meu nome é Heverson Barbosa, palestrante apaixonado por copywriting o qual estudo há mais de 3 anos para entender como a palavra certa no momento certo pode causar uma ação intencionalmente provocada… Por ai vai!

Escassez: Só hoje! Última peça! Este recurso tão batido, por incrível que pareça ainda funciona. Uma forte tendência que temos é de crer na máxima: “tudo que é raro, vale mais.” Algo que sempre faço em todos os treinamentos, palestras e workshops é trazer algo novo, exclusivo para aquele público, isso demonstra minha preocupação de se conectar com esse público e também de gerar escassez no conteúdo, afinal é só pra eles, só aquele dia, só…!

Eliminando objeções (refutação)

Assim como falei, o Copywriting está intimamente ligado às questões do marketing, e você assim como um bom copywriter, deve conhecer a fundo os principais medos e objeções de seu público para poder trabalhá-los a fim de mostrar-los que o seu produto ou serviço é realmente importante e, mais do que isso, uma prioridade.
Eu utilizo uma adaptação da técnica do SEPAPIAG do Raul Candeloro para aprofundar as objeções que podem surgir na mente da minha plateia:

  • Situação: Qual a situação, estado atual do público alvo.
  • Expectativas: O que sua audiência pode esperar da sua palestra (Hora de surpreender positivamente).
  • Problemas: Quais problemas a audiência está enfrentando ou procurando resolver.
  • Aprofundamento: Entender de forma mais profunda o problema o que tira o sono, entristece sua plateia que muitas vezes ela não revela facilmente. (o que chamamos de ‘dor’ ou sintomas e consequências do problema).
  • Preocupações: O que audiência tem pavor só de pensar (coisas que ele/ela tem medo, receio, quer evitar)
  • Irritadores: O que irrita seus ouvintes
  • Alternativas: Possibilidades que eles podem estar analisando. (Concorrentes, concessões, abdicações)
  • Ganhos: Estado desejado, o que enche os olhos da sua plateia, o que os deixaria em estado de êxtase, benefícios da sua proposta, ideia, produto ou serviço. 

 

Sabendo estas respostas construímos a refutação em cima do que ele precisa, suprimindo coisas desnecessárias e ressaltando o que realmente interessa para o público.

Read More

4 dicas do lançamento do iPhone X Apple que transformarão sua próxima apresentação em um espetáculo

Heverson Barbosa Textos Leave a Comment

As apresentações e lançamentos de produtos e serviços apple são sempre um espetáculo de criação, criatividade e bom gosto, com certeza temos algo a aprender sobre falar bem em público com eles.

O lançamento de produtos Apple dia 12 de setembro com a introdução de um novo Apple Watch, iPhone 8 e iPhone X teve tudo o que você esperaria de um lançamento apple: produtos, demos e slides impecáveis. Mas é muito mais do que isso. Um keynote da Apple tem mais em comum com um show da Broadway do que uma apresentação comercial típica, chata como vemos na maioria das apresentações e neste caso não a culpa não é do software, que poderia muito bem ser o powerpoint, mas do conceito, da mentalidade, mas este é um assunto para outro bate papo.

Aqui estão quatro recursos utilizados pela Apple que você pode usar para transformar sua próxima apresentação em uma performance vencedora:

1. O coração
O evento de setembro da Apple foi a primeira apresentação no novo Steve Jobs Theatre no campus da Apple. No início do show, as luzes se apagaram e a tela ficou escura. 

Uma frase apareceu no slide: Bem-vindo ao Steve Jobs Theatre. Notas musicais foram ouvidas, e depois uma voz. Era uma gravação de Steve Jobs. Ele disse: “Uma das maneiras pelas quais eu acredito que as pessoas expressam seu apreço pelo resto da humanidade é fazer algo maravilhoso e colocá-lo lá …”

As luzes se acenderam e o CEO da Apple, Tim Cook, apareceu no palco, claramente movido pelas palavras de seu amigo e co-fundador da Apple. “Era justo que Steve deveria abrir seu teatro”, disse ele. “O espírito de Steve sempre será parte do DNA da Apple”.

A lição: introduza produtos, mas não perca sua alma.

2. O elenco
Depois que a voz de Steve Jobs abriu a apresentação, Tim Cook entrou no palco para começar duas horas de revelações e demonstrações de produtos: um novo Apple Watch, Apple TV e dois novos iPhones (iPhone 8 e iPhone X). Cook só apareceu no palco por cerca de 35 minutos do keynote de duas horas.

Ele compartilhou o palco com dez pessoas. Eles incluíram desenvolvedores de jogos e executivos que administravam departamentos da Apple. Durante uma demonstração do novo recurso celular do Apple Watch, Williams convocou seu colega Deidre. Um video ao vivo mostrou que ela atendia a chamada enquanto estava a bordo do remo do meio do lago.

No final da apresentação, Cook apresentou o resto do elenco, perguntando a todos os funcionários da Apple no auditório para que o público pudesse celebrar as pessoas que fizeram os produtos possíveis.

Lição: compartilhe o palco com seus colegas de trabalho, parceiros ou clientes, e divirta-se com ele.

3. Os visuais
Ao contrário da maioria das apresentações empresariais, os slides da Apple não têm pontos de bala e muito pouco texto. Os slides são principalmente fotografias que complementam a narrativa. Por exemplo, nos primeiros dez minutos do evento da Apple em 12 de setembro, não houve palavras em nenhum dos slides de Tim Cook. Havia fotografias de Steve Jobs enquanto Cook dedicava o novo teatro a sua memória e fotos do novo campus da Apple chamado Apple Park.

A lição: use mais fotos do que texto para complementar sua narrativa de negócios.

4. As histórias
Como seres humanos somos movidos por histórias de outras pessoas, não por características do produto. A Apple sempre inclui histórias de clientes reais em suas notas chave. Por exemplo, Tim Cook apresentou um vídeo de clientes reais que liam suas cartas para Cook sobre como o Apple Watch mudou – ou salvou – suas vidas. Todos eram emocionais.

A audiência foi ouvida por um corredor de maratona cego, uma mulher de 99 anos e pai de uma garota de nove anos que disse: “Caro Sr. Cook, nossa filha foi recentemente diagnosticada com diabetes tipo 1. A integração de um monitor de glicose com o Apple Watch nos permite garantir que o açúcar no sangue não vá para níveis perigosamente baixos “.

A lição: os seres humanos são vidrados em história. Diga mais deles na sua apresentação. Melhor ainda, deixe seus clientes contarem suas histórias.

Tim Cook fechou a apresentação quando começou, com a inspiradora citação de Steve Jobs que abriu o show. Então ele disse: “Trabalhamos muito na Apple para criar coisas maravilhosas. Esperamos que você ame o que apresentamos hoje. Penso que Steve ficaria realmente orgulhoso deles”.

Todos os nossos alunos do curso de TRANSFORMATÓRIA, conhecem a nossa estrutura do discurso hipnótico, início impactante, conteúdo relevante e final emocionante, certamente ao assistir esta apresentação você identificará estes elementos cuidadosamente pensados, e o resultado você já sabe, um show!

Se você quer falar bem em público, ter uma oratória extraordinária, é importante entender o princípio da intencionalidade e da naturalidade, sem eles você sempre será mediocre, ordinário e frustrado.

 

Heverson Barbosa

 

Quer conhecer um pouco mais sobre a ESCOLA DOS PROTAGONISTAS, a maior referência em oratória moderna e comunicação persuasiva do Brasil?

Clique aqui! 

Oratória, comunicação, persuasão, transformatória, escola dos protagonistas, heverson barbosa.
Texto adaptado de Carmine Gallo.